Postagem em destaque

[Promoção Mães Leitoras] com Rô Mierling e blogs parceiros (serão 7 ganhadores!)

Olá queridos leitores! Em comemoração ao Dias das Mães , a escritora Rô Mierling e blogs parceiros se reuniram para presentea...

[Resenha x Entrevista] Especial dia dos Namorados O Par Perfeito - Shirlei Ramos

Olá, amores!
     Chegamos ao dia mais especial dessa semana. Para fechar com chave de ouro, decidimos brindar em dose dupla nossos queridos leitores. Postaremos uma resenha mega especial e uma entrevista com uma das autoras mais românticas do nosso blog: Shirlei Ramos
    Vocês terão a oportunidade de conhecerem um pouco mais sobre a autora, e sobre seu mais novo e emocionante romance, que aliás, inspirou o nome dessa semana especial, "O Par Perfeito", sucesso total no Wattpad, com mais de 500 mil visualizações. 
     Esperamos que curtam!!!

O Par Perfeito - Shirlei Ramos

Sinopse: Aos oito anos, Elise traçou a meta mais importante de sua vida quando viu seu pai e sua mãe se beijando apaixonadamente: ela encontraria o par perfeito e teria um relacionamento tão idílico quanto o de seus pais.
O tempo passou. Elise cresceu tanto que os olheiros não cansavam de chamá-la parar fazer testes em agências de modelos. Mas a moça, depois do segundo desfile, desistiu da carreira glamorosa das passarelas. Desistiu também da faculdade de Pedagogia, de Turismo, e do emprego como vendedora. A verdade é que, mesmo aos 26 anos, Elise não tem certeza do que quer ser “quando crescer”. Quer dizer, ela ainda está certa sobre a busca do “príncipe encantado” e seu conto de fadas. O problema é que Elise tampouco foi bem-sucedida nessa área.
Colecionando namoros desfeitos, corações partidos, fossas gigantescas e eternas dúvidas profissionais, Elise ainda tem que lidar com a irmã perfeccionista, onze anos mais velha, que ocupou o lugar deixado pelos pais, vítimas de um acidente de ônibus, há sete anos. A única parte realmente boa da vida de Elise é Samanta, a sobrinha e companheira incansável de seis anos.
As coisas, contudo, parecem estar prestes a mudar na vida de Elise. Seu cunhado, mais conhecido como o “marido-capacho" de sua irmã, lhe apresenta o cara que preenche, finalmente, todos os requisitos do “Senhor Perfeito”. Viúvo, pai de uma menina de dez anos, Roberto é romântico à moda antiga, não bebe, não fuma, adora crianças... e imagine, adora comédias românticas!
Ao que tudo indica, a busca mais importante de Elise chegou ao fim. E a vida está lhe sorrindo como nunca. Então, não lhe custa nada ajudar um estranho a encontrar a mesma felicidade que ela está sentindo, não é mesmo?É isso que Elise pensa após presenciar uma discussão calorosa entre um casal, no corredor de um supermercado, seguida de um rompimento de namoro. Ela, então, propõe ajudar Gael, um executivo workaholic, a reconquistar o coração da namorada. Porque se existe alguma coisa na qual Elise é perita, sem dúvida, é no assunto “como ser o namorado perfeito”.

Entre lições de “como tornar Gael o Senhor Perfeito e reconquistar a ex-namorada”, peripécias amorosas com Roberto — enfim, “o seu sonhado Senhor Perfeito” —, e eventos inesperados, Elise vai descobrir que nem sempre o maior sonho de nossa vida vem com o embrulho que desejamos. E que alguns acontecimentos têm o poder de nos fazer amadurecer à força.

Entre lições de “como tornar Gael o Senhor Perfeito e reconquistar a ex-namorada”, peripécias amorosas com Roberto — enfim, “o seu sonhado Senhor Perfeito” —, e eventos inesperados, Elise vai descobrir que nem sempre o maior sonho de nossa vida vem com o embrulho que desejamos. E que alguns acontecimentos têm o poder de nos fazer amadurecer à força.

Pré Venda Aqui!
O Par Perfeito

RESENHA


O Par Perfeito - Shirlei Ramos

O Par Perfeito é mais uma emocionante história de amor, na qual a escritora Shirlei Ramos, uma romântica assumida, narra, com perfeição, a incansável busca de Elise pela realização de seu sonho: encontrar seu par perfeito. Essa meta foi traçada quando ela tinha 8 anos e se encantou com o incrível amor que seus pais compartilhavam entre eles.
Elise é uma bela mulher, com 26 anos e com características físicas que lhe proporcionariam seguir carreira de modelo. Desfilou dos 14 aos 16 anos, e chegou à conclusão de que, definitivamente, não era isso o que queria para sua vida. Não concluiu nenhum curso que iniciou tampouco se decidiu por qualquer profissão.  É extremamente romântica, sensível, bem humorada e tem uma coleção de relacionamentos mal sucedidos. Segundo sua irmã, Diana, tem um coração maior que o cérebro, o que a impede de tomar as decisões mais acertadas para sua vida.  Diana é 11 anos mais velha que Elise. É uma mulher forte, perfeccionista, determinada, corajosa, e tem muita dificuldade em demonstrar carinho pelas pessoas, exceto por sua filha de 6 anos, Samanta, que é a pessoinha responsável por trazer momentos de leveza e alegria à vida de Elise (é impossível não se apaixonar por Samanta). É casada com o contador Talmo, e, segundo Elise, é o típico “marido-capacho” , o “cachorrinho de estimação” de Diana.
Elise perdeu os pais aos 19 anos em um acidente de ônibus. Após o acidente, Diana muda com a família para sua casa, alterando a rotina de sua vida. Diana passa a cuidar da vida e dos interesses de Elise, mas exagera no papel de mãe substituta, quando tenta controlar todos os setores da vida da irmã, inclusive o afetivo (apesar de toda a austeridade e frieza que demonstra, Diana ama e preocupa-se verdadeiramente com a irmã). No decorrer da trama, ficamos sabendo de que toda a dureza de Diana é consequência de uma grande desilusão amorosa (no passado, foi abandonada pelo noivo às vésperas do casamento, o que a tornou desiludida em relação ao amor), e que foi o grande amor que Talmo sempre nutriu por ela, que a salvou das consequências desastrosas deste abandono.    
Roberto trabalha com Talmo. É viúvo e tem uma filha, Maria Clara, de 10 anos. É cavalheiro, romântico, não possui vícios e está à procura de uma mulher que preencha o vazio que a morte de sua esposa deixou. Diana, então, vê em Roberto, o homem ideal para Elise, (mas, ainda não foi dessa vez que Elise encontrou o seu tão sonhado amor).

 Após um malfadado passeio com Roberto e sua filha, Elise resolve voltar sozinha para casa e, a partir daí, o acaso, ou, conforme Elise afirma, as “vibrações” de seus falecidos pais, começam a interferir em sua vida. Elise estava sem dinheiro para o táxi, e quando o ônibus se aproxima do ponto, sente um forte cutucão no ombro. Ao tentar achar o autor do toque, perde o ônibus. Como estava com muita sede, resolve entrar no supermercado para comprar água. No corredor do supermercado se depara com uma cena pouco comum: uma forte discussão entre um casal. Descontrolada, a mulher  alega estar cansada da pouca atenção que o namorado lhe dispensa, e põe fim no relacionamento de 5 anos. Elise, que é perita em relacionamentos desfeitos, prontifica-se a ajudar Gael na reconciliação do casal.
Gael é um executivo bem sucedido e tem como prioridade de vida sua carreira e ascensão profissional. Apesar de ser deliciosamente lindo...rsrs..., e de ter uma risada “musical”, é um autêntico workaholic (viciado em trabalho). Na infância, sofreu maus tratos do pai alcoólatra. Saiu de casa aos 18 anos, e desde então, focou sua vida na busca incessante pelo sucesso profissional. Ama, e mesmo de longe, cuida da família, especialmente dos sobrinhos e de sua irmã Gabriela, vítima de violência doméstica, praticada pelo marido.
A partir do encontro ocasional no supermercado, o leitor vai acompanhar a arrebatadora trajetória do romance entre Elise e Gael. Como sempre, Shirlei elabora histórias incríveis, e não foi diferente com esta. Colocou toda sua habilidade de descrever precisa e impecavelmente neste romance. Brindou o leitor com uma escrita apaixonante e envolvente, que prende o leitor do início ao fim do livro. O Par Perfeito não é só mais um romance, tem de tudo um pouco. Fala de vida e de morte, de relacionamentos finalizados, de recomeços, de superação, de erros, de perdão, de transformação, de persistência. Tem cenas e diálogos constrangedores e hilários. Tem diálogos reflexivos, apaixonados. Tem, também, cenas “calientes”, mas sem apelações e vulgaridades, conduzidas com tal sutileza, que as emoções se sobrepõem ao erotismo, sem, contudo, deixarem de ser cenas deliciosamente sensuais.

As transformações e evoluções dos personagens torna a história crível, real. Shirlei Ramos é mestra na arte de criar personagens de fácil aceitação e credibilidade. Os personagens de suas histórias não são recatados, altruístas, destemidos, perfeitinhos. Pelo contrário, têm seus medos, traumas, desequilíbrios, frustrações e limitações.  Talvez seja esta a razão da grande empatia do leitor com os personagens por ela criados.
A história de Gael e Elise me conquistou e me deixou com gostinho de quero mais. Parabéns, Shirlei Ramos, pela história, pelo texto magnificamente bem escrito e pela excelente elaboração e articulação do enredo e personagens. Sem medo de errar, recomendo a leitura dessa encantadora história de amor.

MÚSICAS

I Was Born To Love You – Freddie Mercury 

Pra Você – Paula Fernandes 

(Everything I Do) I Do It For You - Bryan Adams


ENTREVISTA COM

SHIRLEI RAMOS

1- Shirlei, você é conhecida por escrever romances que contam histórias de amor repletas de dramas e conflitos tão comuns em nossa realidade, além dos tão esperados finais felizes. Você acredita que é isso que as pessoas procuram na vida real?

R.: Eu acho que a maioria das pessoas sonha em viver um grande amor. Não é à toa que o gênero romance seja um dos que mais vendem em todo o mundo. Porém, os leitores preferem histórias de amor que estejam ancoradas na realidade, com personagens multidimensionais, humanos, e com conflitos vividos por qualquer ser humano. Eu, pelo menos, quando leio um livro cujos personagens vivem situações pelas quais já passei, ou conheço pessoas próximas que já passaram, me sinto muito mais envolvida e impactada por ele. Então, eu tento colocar nos meus livros “ingredientes” que fazem parte da minha realidade. Assim, acredito que meus romances acabam sendo um reflexo do que as pessoas procuram na vida real.

2 - Você acha que os leitores se identificam com os seus personagens?

R.: Eu recebo muitas mensagens de leitores que dizem se identificar com os personagens que escrevo ( o que me deixa muito feliz, não posso deixar de dizer, porque simplesmente amo receber mensagens dos leitores). Isso é muito gratificante para mim, porque, enquanto escrevo um romance, eu não fico paranoica, pensando se existirá alguém que se identificará com esse ou aquele personagem. Eu apenas procuro ser fiel à personalidade de cada personagem do começo ao fim da história e deixá-los com características bem humanas.

3 - Sua família e/ou seus amigos mais próximos lhe inspiram ou sugerem temas para seus livros?

R.: Todo mundo me inspira, desde pessoas da família até amigos e desconhecidos. Sou fanática por histórias de vida. Nunca me esqueço de uma vez que vi uma pessoa compartilhando uma imagem no Facebook de uma mulher sentada numa cadeira, em frente a um estabelecimento comercial, segurando uma placa que dizia assim: “Pare aqui e conte sua história”. Eu juro que morri de vontade de copiar a ideia...rsrsrs... Uma pena que exista tanta violência urbana. Eu simplesmente amo ouvir sobre a história de alguém. Acho tão fascinante saber dos amores, dramas, alegrias e sonhos das pessoas. E isso acaba sendo um excelente material para os livros que escrevo.
Em relação às pessoas sugerirem temas para meus livros, isso já aconteceu algumas vezes, sim. E eu gosto muito, porque me ajuda a ter ideias para meus próximos projetos.

4- Qual foi seu primeiro livro publicado e qual foi a emoção ao tê-lo publicado?

R.: O primeiro livro que lancei foi A Missão de Anabel, em janeiro de 2014 (nem consigo acreditar que faz menos de um ano e meio! Minha vida mudou completamente depois disso... para mil vezes melhor, claro J ). Foi uma das maiores emoções que já vivi, empatando com aquela que senti ao pegar minha filha pela primeira vez no colo. Eu jamais imaginei que o livro fosse ter uma receptividade tão maravilhosa e que tantas pessoas fossem me apoiar tanto, me tratando como uma autora veterana, até. Serão momentos que nunca se apagarão da minha mente.
5 - Você prefere ler ou escrever?
R.: Posso escolher os dois?...rsrsrs... Sou uma bookaholic assumidíssima, que não consegue passar um dia sem ler um capítulo de algum livro, que seja. Mas também não vivo sem a escrita. Estou sempre com um papel e uma caneta nas mãos. Escrevo o tempo todo (anoto até a ordem dos móveis e cômodos que vou limpar em dia de faxina, acredite...rsrs).

6 – Você possui escritores (nacionais ou não) que lhe inspiram? Cite alguns deles.

R.: Eu me identifico com o estilo de alguns escritores e eles, de certa forma, acabam me inspirando. Como a Carina Rissi, a Sophie Kinsella, a Judith McNaught, a Rachel Gibson e a Amy Harmon.

7- Que fase de seus livros você acha mais complicada ou mais difícil para desenvolver? O início, o fim ou o meio?

R.: Eu sinto mais dificuldade com o início, porque ainda estou me familiarizando com os personagens e com a história. Fico sempre apreensiva de deixar de fora alguma informação importante sobre os personagens e isso atrapalhar a compreensão do leitor no restante do livro.
 
8 – Você é formada em Letras (Português e Francês) e trabalha também com revisão de textos. Os conhecimentos e/ou experiências adquiridas na sua formação e no exercício de seu trabalho lhe ajudam na hora de escrever suas histórias? Você acha que é necessária alguma formação para ser escritor?

R.: Não posso negar que minha formação e minha experiência como revisora de textos me ajudam demais. Quando comparo as histórias que criava nos cadernos antes de ingressar na faculdade e as que escrevo agora, percebo uma diferença gigantesca. Eu sei que existe envolvida também a questão da maturidade. Porém, acredito que ter estudado mais a fundo a língua portuguesa e também ter tido contato com a literatura de uma forma mais “técnica”, por meio de aulas de teoria literária, contribuíram para que eu adquirisse vários “macetes” na hora de escrever minhas histórias.
Por outro lado, não acho obrigatória uma formação universitária na área de Letras para ser escritor. Existem escritores talentosíssimos que são formados em Exatas, por exemplo. O que eu acredito é que todo escritor deve ter um bom conhecimento da língua portuguesa e interesse em se aprimorar. E, para isso, é necessário, claro, estar sempre estudando nosso idioma e, se possível, fazer alguns cursos ou ler livros sobre escrita criativa.

9 - Qual a importância dos blogs e fanpages na divulgação dos autores e das suas obras? O retorno é proveitoso?

R.: Os blogs e as fanpages têm uma importância imensa, estratosférica, na carreira de qualquer autor, na minha opinião. A divulgação é uma das etapas mais importantes no processo de publicação de um livro. E, atualmente, a fonte número 1 de divulgação são as mídias sociais. Quanto mais parceiras com blogs sérios e comprometidos um autor tiver, mais longe seu livro alçará voo. Eu tenho tido um retorno maravilhoso de alguns blogs com os quais fiz parceria. Tenho gostado bastante da experiência.

10 – Quais seus próximos projetos literários?

R.: Eu acabei de escrever um conto para o Dia dos Namorados, que é um spin-off de O Par Perfeito; chama-se “Nunca te esqueci”. Ele conta a história de amor da Aline, sobrinha do Gael, e do Davi. E, no mês que vem, pretendo começar a trabalhar no meu próximo romance, Terapia da Paixão, que conta a história da Bianca, uma terapeuta holística, e do Igor, um lutador de kickboxing (adoro um casal do estilo “os opostos se atraem”...rsrs).

11 – No meu caso, embora a capa do livro não seja o único fator determinante para eu comprá-lo, confesso que já comprei livros simplesmente pela capa. Não esqueço que certa vez numa livraria, vi um livro na prateleira e, simplesmente me apaixonei pela capa. Não pensei duas vezes e comprei o livro. O livro era “A última carta de amor”, da Jojo Moyes. Nunca tinha lido nada dela e, neste caso, fui muito feliz, porque simplesmente foi um dos livros mais fantásticos que li. Tornei-me fã da Jojo e creio que já li todos os títulos dela publicados no Brasil. Você tem algum critério para definir a capa de seus livros? Você acha que as capas ajudam na venda dos livros?

R.: Também achei linda essa capa do livro da Jojo Moyes. Ainda não tive a oportunidade de lê-lo, mas está aí um livro que compraria pela capa...rsrs... Eu acho que a escolha de uma bela capa, que combine com o gênero e a história do livro, contribui muito para a venda do livro. Eu tive muita sorte quanto a isso, porque a Vanessa Bosso, o Filipe, do AF Capas, e a Gisele Souza, que fizeram as capas de A Missão de Anabel, Atração Explosiva e O Par Perfeito, respectivamente, arrasaram e souberam captar com perfeição a essência de cada história, do jeito que imaginei.
Em relação aos critérios para definir a capa, o número 1 é que a imagem seja de um casal. Sou apaixonada por capas com casais! Acho muito românticas. Como eu escrevo livros bem românticos, estou com a faca e o queijo nas mãos...rs... Também me atento para que a capa passe o “clima” da história.

12 – Você tem fãs fiéis que participam, acreditam e apoiam todos os seus projetos. Como você avalia a importância dessas pessoas na sua jornada de escritora?

R.: Vou ser obrigada a repetir o que todo autor diz: eu tenho os melhores leitores do mundo!!!...rsrs... Mas é verdade. Eu fico até emocionada em falar sobre eles (incluindo você, querida Vanda, que é uma linda total sempre!). Nunca pensei que fosse receber tanto carinho e atenção de tantas pessoas apenas porque leram um livro meu. Eu vivo chorando... mas da mais absoluta alegria e emoção, toda vez que entro no Facebook ou no Wattpad. Tem hora que custo a acreditar que estão escrevendo tudo aquilo para mim e acho até injusto não terem inventado algum meio que faça com que a gente se transporte em poucos segundos para o lugar onde desejarmos. Ai, como eu queria poder abraçar cada um dos leitores que têm feito da minha vida um verdadeiro sonho! Com certeza, eu não teria chegado a lugar algum com os meus livros se não fossem pelos leitores queridos que tenho. Eles são importantíssimos na minha carreira.

13 - Você tem planos de escrever outros gêneros literários que não sejam romances ou histórias de amor?

R.: Sendo absolutamente sincera, não me imagino escrevendo outro gênero que não seja romance bem romântico. Acho que nem saberia como começar. Apesar de ler de tudo um pouco, desde o começo da adolescência, eu já escrevia e criava na minha cabeça histórias de amor. Acho que os romances são minha própria essência por causa da minha natureza excessivamente romântica.

14 – O par Perfeito arrasou no Wattpad e já é sucesso de vendas na Amazon. Posso acreditar que vou ter o livro físico em minha estante?

R.: Meu coração até dispara apenas em pensar no livro físico de O Par Perfeito! Assim como foi para A Missão de Anabel e Atração Explosiva, seria um sonho realizado poder segurar O Par Perfeito nas mãos. No entanto, desta vez, gostaria de publicar o livro físico por meio de uma editora para que ele fosse melhor distribuído e pudesse alcançar muitos leitores. Estou torcendo para que alguma editora se interesse por ele.

15 – Quais são seus escritores ou livros favoritos? Para não lhe deixar em apuros (rsrs), pode mencionar os internacionais.

R.: São vários, tanto nacionais quanto internacionais. Judith McNaught, Amy Harmon, Neiva Meriele, Carina Rissi, Gleize Costa, Nina Reis, Bella Andre, Samanta Holtz, Sophie Kinsella, Palloma Belfort, Halice Frs, Rachel Gibson, Maurício Gomyde, Vanessa Bosso, Nicholas Sparks.

16 - Quais conselhos você daria para quem quer se tornar escritor?

R.: O primeiro conselho, que pode até parecer que estou chovendo no molhado, é leia MUITO. E leia de tudo; ficção e não ficção. A leitura é essencial para se criar uma boa bagagem cultural e também ajudar na aquisição de um bom português – fatores importantíssimos para a criação de livros bem escritos. Outros conselhos que julgo muito importantes são: seja persistente e disciplinado. As dificuldades na carreira de escritor, como em qualquer carreira, são imensas, então é preciso ter muita força de vontade para não esmorecer nos primeiros obstáculos. E, além disso, é preciso ter disciplina para não abandonar a escrita de um livro pela metade ou ser um escritor de um livro só. O ideal é escrever, um parágrafo que seja, todos os dias, encarando a escrita realmente como uma profissão.

17 - Você, que o ano todo nos proporciona momentos de ternura e amor, pode deixar uma mensagem para o Dia dos Namorados?

R.: Ame, ame mais, ame muito, ame o tempo todo. Que o Dia dos Namorados, muito mais do que uma data comemorada pelos casais, seja um dia de comemoração do amor sob todas as formas. Por mais piegas que isso possa soar, o amor é e sempre será a razão de nossa própria existência. Em meio a tantos acontecimentos ruins pelo mundo e à banalização dos sentimentos, que nosso poder de amar seja a arma mais poderosa que possamos usar <3


Beijos até a próxima!!


Créditos:
Resenha: Vanda Costa
Entrevista: Vanda Costa
Imagens: Tiradas da Internet
Vídeo: Youtube
Diagramação da Postagem: Giuli

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.