[Especial Arwen] Conheçam as Raízes e Frutos dessa Árvore de sonhos Impressos!

Olá Clubenautas, hoje vamos falar de uma ÁRVORE que vem crescendo e dando bons frutos! O nome é Editora Arwen, e vem chegando com tudo no mercado editorial. Posso garantir que estão por vir sucessos e autores maravilhosos, e em três dias vocês conhecerão aqui em nosso clube algumas dessas novidades!
O time da Editora é composto por pessoas de coração e que estão sempre batalhando para trazer o melhor do nacional aos leitores!
Let´s go conhecer esse time lindo?!


CONHEÇAM A EDITORA ARWEN





"Dando raízes aos seus sonhos" 


A Editora Arwen foi fundada em 2010, mas somente em fevereiro de 2014 começou a atuar no mercado editorial, conquistando leitores no mundo inteiro com publicações jovens e criativas. Considerada uma editora embrionária — que ajuda e auxilia os autores em seus primeiros passos no mercado —, mesmo sendo bastante jovem, a Arwen traz maturidade e experiência para o mercado editorial, não oferecendo apenas títulos, e sim publicações de qualidade.

Prezamos pelo respeito e crescimento em parceria e por isso, junto a você, leitor, estamos nos expandindo ainda mais, afinal, analisamos todas as sugestões propostas para trazer o melhor até suas mãos. Com a chegada de profissionais para levar seus sonhos ainda mais longe, hoje contamos com um excelente time de autores nacionais que tem conquistado o público leitor.

Em novembro de 2014, a Editora Arwen, do também autor André C. S. Santos, adquiriu os títulos da Editora Literata e a tornou um selo editorial, que está sendo trabalhado para futuramente ampliar o mercado de literatura nacional.
“Não podíamos deixar que a Literata simplesmente se fechasse. Eles conquistaram muito e, com certeza, poderiam abrir portas para a Arwen. Agora as duas irão trabalhar juntas para chegar ainda mais longe”, explica o novo editor
Por isso, levar o melhor da literatura nacional é o que nossa equipe Arwen deseja.

Entrevista com Editor da Arwen Andre C. S Santos e a autora Letícia Godoy


Conheça um pouco mais de André C. Santos: 

Nascido em 21 de Janeiro de 1990 em São Paulo, iniciou sua carreia no mundo literário ainda cedo, com apenas 11 anos de idade, quando escreveu o seu primeiro livro. Este, nunca teve o nome revelado.
Antes de completar 12 anos, escreveu seu projeto que muitos já conhecem: O Enigma de Shalkas. Despertando, assim, o interesse de um escritor italiano que veio a ser seu mentor no mundo da Literatura. Atualmente, além de escritor, é editor chefe e fundador do Grupo Editorial Arwen e também atua de maneira ativa em todas as áreas editoriais como capista, diagramador e web designer.

Sobre sua obra:

O Enigma de Shalkas 

Sinopse:  Noah, cuidado por seu misterioso avô, o importuna por anos para que ele conte algo sobre seu pai, Wood, que desapareceu e nunca teve a oportunidade de conhecê-lo. Pela insistência do jovem, o velho decide falar toda a verdade obscura que fez seu pai ser obrigado a fugir e abandoná-lo. Mas, o que ele não sabe, é que por trás de toda a história seu avô escondeu algo que fez ao pai de Noah e que nunca será perdoado, podendo acabar com as esperanças do jovem de um dia reencontrá-lo. A vida de Wood estava pré-destinada desde seu nascimento, mas seu passado e os motivos de sua vinda ao mundo, se tornou tão obscuras e repletas de mentiras, que agora busca a verdade sobre todo seu passado. Só então descobre um segredo capaz de mudar a vida de mais de 4 bilhões de pessoas, que o obrigou a desaparecer do mapa. Sua verdadeira história agora será revelada.

Arwen: Dando raízes aos seus sonhos.


1- O grupo editorial Arwen foi fundado em 2012, é uma editora bem jovem que já conta com grandes títulos publicados, e vem se destacando nas redes sociais de seus autores como um grupo família, que prioriza a qualidade, e não a quantidade de lançamentos. Minha pergunta é: Como surgiu a idéia de criar uma editora como a Arwen? No que ela se diferencia das outras editoras? (nacionais e internacionais)


ANDRÉ: A ideia da criar uma editora com tal ideologia, surgiu quando publiquei de forma independente o meu primeiro livro. Como já conhecia e trabalhava no meio editorial, achei um absurdo e grande descaso o processo a que o autor nacional tem que se submeter para ter seus livros publicados, e ainda assim, com uma qualidade duvidosa e mal trabalhada. Fiquei pensando: “Onde está o verdadeiro incentivo para nossa cultura? Não existe nenhum esforço ou ferramenta que pudesse realmente nos auxiliar?”, foi então, com a ajuda do meu eterno mentor, decidi fundar uma editora que desse valor e qualidade aos nacionais. Busquei me cercar de excelentes contatos e profissionais, só então, depois de alguns anos com uma estrutura forte, iniciei a longa jornada no mercado editorial, mas como editor, e assim surgiu os primeiros passos da Arwen. 
Um dos nossos grandes diferenciais, é que nunca iremos nos colocar numa posição de pequena, média ou grande editora, seremos eternamente uma empresa embrionária, que é menor que as pequenas, iremos sempre caminhar e crescer junto com os autores que estão começando agora e precisam de um verdadeiro auxílio para dar os primeiros passos de forma correta. 
Outro grande diferencial, é que procuramos ferramentas para que o autor possa dar raízes aos seus sonhos, publicando o livro que sempre desejou com a possibilidade de que tudo seja feito sem custo nenhum de aquisição de tiragens. Buscamos realmente incentivar nossa literatura, encontrar formas de oferecer qualidade nunca antes oferecida, deixar à disposição uma verdadeira possibilidade de crescimento. Sempre trabalhando juntos como uma empresa que quer ver seus projetos crescendo, como também uma família que quer ver seu irmão(ã) conquistando seus sonhos. Sempre achei que se nos unirmos, chegaremos longe e é disso que precisamos. 
Ninguém é mais do que ninguém, na Arwen, todos somos iguais. Não temos medo de nadar contra a correnteza ou mudar um time que está ganhando o campeonato. Não busco ser igual ou melhor às minhas concorrências, eu quero ser diferente, e torço para o sucesso daquelas que concorrem comigo, é assim que encontro formas diferentes de crescer no mercado. Isso é um pequenos exemplo do nosso diferencial.


Por trás dos livros

2- Quem é André C.S. Santos por trás dos livros? Como é assumir um posto de Editor Chefe sendo ainda tão jovem? Você já enfrentou algum tipo de preconceito por conta disso? Ou seja, estar a frente de uma editora não deve ser nada fácil e muitas pessoas tendem a subestimar os mais jovens, logo, como você lida com isso?
ANDRÉ: Por trás dos livros, sou uma pessoa comum como qualquer outra. Extremamente nerd, adoro andar no meu próprio estilo bem básico, passar o final do dia ou da semana com a família, ir ao cinema, jogar vídeo game (rpg), sou todo tatuado nos braços e costas, amo ouvir rock, clássico, músicas de animes (outra coisa que adoro), sou um cara zoeira, adoro passear, descansar... Como 99% dos autores, tento escrever minhas dezenas de ideias para livros, que muitas vezes só ficam nas ideias. Sou aquariano, meus pensamentos vão longe, odeio rotinas e meu passatempo para fugir do mundo é montar quebra-cabeças de 2000 à 5000 peças e fazer quadros deles. Não gosto muito de me aparecer e ser o centro das atenções, sou extremamente calmo, adoro bater um papo não só de livros e odeio futebol. Ou seja, o André C. S. Santos por trás dos livros continua sendo a mesma pessoa. ☺

Se passei por preconceitos? Sim, e ainda passo. Na minha visão, o preconceito ainda é um câncer que aos poucos precisa ser erradicado. É só entendermos a história de Davi e Golias. A minha forma de lidar com isso, é não enfrentar, simplesmente deixar as pessoas julgarem, não se importe, não crie casos, apenas continue sendo você mesmo e sempre fazendo o seu melhor. A “piada” perde a graça quando não atinge seu objetivo. Muitas editoras e profissionais do mercado editorial, chegaram a me subjugar por eu ser tão jovem diante de um cargo que preza tantas responsabilidades de grande teor. Depois que a Arwen se mostrou ser uma empresa com fortes estruturas para se tornar uma grande referencial no mercado nacional e passamos a receber de 180 à 300 originais mensais, - quando muitos autores dessas empresas começaram a se identificar com nosso trabalho -, a “piada” começou a perder a graça e comecei a ser mais respeitado.

Se você plantar inveja, é isso que irá colher. Se plantar respeito, é isso que sempre terá. Semeie aquilo que deseja colher, ao final, olhe para os frutos da sua árvore e esse será o resultado de seu trabalho. (Frase que resume o motivo do nosso logo ser uma árvore).

Contratações:

3- Bhetys Oliveira, Juliana Daglio, Letícia Godoy, Luene Alves e Amanda Ághata Costa. Eu citei cinco nomes de peso que são jóias exclusivas da Arwen, e queria saber, como foi o processo de seleção desses autores? E como funciona a avaliação dos originais? 

ANDRÉ:
O processo de avaliação de originais, passou por muitas modificações durante o tempo de reestruturação da Arwen e da recém adquirida Literata. O principal motivo foi quando eu perguntei para minha equipe: “Qual é o gênero de publicação do Grupo Arwen?” e a resposta veio do Daniel, nosso administrador financeiro: “Nosso gênero é o autor nacional”. Não poderia ter recebido melhor resposta e desde então nossa avaliação começou a ser mais ampla e diversificada. Buscamos a princípio histórias originais, com ótima fluidez e abordagem de conteúdo. Não ficamos preso apenas à tendências do mercado, desde que a obra atenda todas exigências de publicação da Arwen como: Conteúdo e trama bem elaborados, com estruturação, esteja com uso adequado do português e suas regras gramaticais, tenha um diferencial bacana, se é um autor que promove a própria obra, se está sempre buscando ferramentas para melhorar, principalmente que seja escrito por brasileiros ou na língua portuguesa... Entre outros quesitos básicos. Se a obra estiver conforme nosso padrão, tem grandes possibilidades de receber uma proposta de publicação. Não buscamos só autores com nome no mercado e uma legião de fãs e leitores. Queremos dar a oportunidade de uma primeiro passo no mercado à todos os autores, seja ele totalmente iniciante ou já veterano.

4- Eu vejo todos os autores da Arwen como joia rara, porém alguns mais lapidados e outros que estão em processo de lapidação. O processo de seleção dessas autoras foram basicamente os mesmos, mas foi bacana você ter citados justamente esses nomes, mas por quê?


Em ordem cronológica:


Juliana Daglio, nos enviou o formulário de publicação no dia 23/02/2015 às 18:06 (apenas para reacender as memórias da Ju. ☺). Ela passou pela avaliação da nossa ex-editora Aline C. Carrasco e depois pela minha. Antes de conversarmos sobre o original, escrevemos nossos feedbacks e no final fizemos uma comparação. O resultado foi que O Lago Negro se tornou um dos primeiros originais a receber nota máxima em nossas avaliações e não é por menos.

Bhetys Oliveira, que lançará Perdida da Paraíso, é uma autora da antiga Literata, que passou pelo nosso processo de reavaliação para fazer parte do Grupo Arwen.

Amanda Ághata, precisou de um pequeno auxílio para a publicação da primeira edição da saga A Escolhida. Desde de então fiquei de olho nessa obra e na força de vontade da autora de querer ver seus sonhos realizados e também de poder realizar os sonhos de seus autores de terem o livro físico em suas mãos. Foram meses que fiquei conversando e auxiliando a Amanda, hora e outra eu mandava uma mensagem indireta mostrando meu interesse em publicar seu livro pela Arwen. Eu poderia ter enviado uma proposta bem antes, mas queria ver até onde ela chegaria de forma independente, e devo tirar meu chapéu pelas conquistas que ela adquiriu nesse tempo. Chegou um momento que ela estava precisando anteder um público maior e dar conta de escrever as continuações, vendo que estava difícil conciliar as duas coisas, eu mandei uma proposta.

Luane Langhammer, foi indicada por alguns leitores e por um período de 2 semanas, fiquei analisando o original dela (sem ela saber). Fiz uma ampla pesquisa de mercado e vendo que seria uma publicação bacana eu mandei nossa proposta de publicação.

Letícia Godoy, é uma das autoras mais antigas da fase Arwen – Literata, eu já conhecia o seu potencial como autora e de suas obras, que só veio a me deixar mais confiante com o passar do tempo, após ler com mais calma Jurada pelas Sombras e Deixe-me Entrar. Nunca tive dúvidas que ela seria uma grande autora da Arwen, então fiz uma surpresa: em um vídeo anunciei que queria publicar os seus 3 livros.

Temos nossas formas padrões de enviar uma proposta de publicação, mas hora ou outra gosto de ser criativo na hora de enviar uma proposta ou um contrato. Faz parte desse gesto familiar e bacana de abrir as portas para mais um autor na casa editorial. Os autores que fazem parte do grupo secreto da Arwen sabem do que estou falando. ☺

Trabalho em Equipe:

5- Sabemos que, recentemente, Letícia Godoy assumiu o cargo de Assessora Editorial da Arwen, além de autora, ela também está desempenhando um papel muito importante dentro da editora. Sendo assim, como é trabalhar com a Letícia?

ANDRÉ: Sempre digo que a Letícia Godoy foi um anjo que caiu do céu no momento em que a Arwen estava precisando de muita ajuda. Ela se prontificou a nos ajudar com as revisões e organização dos parceiros e as redes sociais. Seu trabalho é fantástico e completamente profissional e competente. Ela busca sempre ser o mais organizada possível e sempre melhorar e ampliar seus conhecimentos. Trabalhar com a Letícia está sendo um enorme prazer, ela não é só uma funcionária, mas também uma amiga, um conselheira e tem uma visão bem adiante do mercado editorial e age sempre com os pés no chão. Foi uma das contratações que mais tenho orgulho. Obrigado Lê! ☺

Divulgação:

6- Como você vê o papel dos blogs na divulgação da Editora e de seus autores?

ANDRÉ: O papel dos blogs se tornou uma ferramenta essencial para os autores e principalmente as editoras. Grande parte de disseminação da nossa literatura se deve a esse incrível trabalho. Assim como uma editora e os autores que ainda tem muito o que melhorar, os blogs ao meu ver, também. Vejo muito parceiros que se dizem críticos literários, mas selecionam aquilo que vai ler, não gosta ou não quer ler um livro digital, ou ainda não conseguem separar o pessoal do profissional. Como editor chefe, que tem o objetivo de analisar de forma crítica dezenas de originais diariamente, eu reconheço que é um trabalho extremamente difícil, mas que deve estar presente no dia a dia dos blogueiros. Promover esse profissionalismo trará mais confiança para os autores e principalmente às editoras que a cada seleção irá renovar a parceria e irá oferecer cada vez mais brindes e livros físicos.

ENTREVISTA LETÍCIA GODOY


Primeiro meus parabéns pelo contrato de publicação dos três livros... Depois as perguntas rs.


Auto-Publicação:

1- Sabemos que a literatura nacional ainda é pouco valorizada no Brasil, grandes editoras visam a publicação/tradução de estrangeiros e acabam deixando os talentos nacionais em segundo plano. Para você, investir na auto-publicação é o melhor meio para se lançar no mundo literário ou esperar uma oportunidade editorial ainda é o melhor caminho?
LETÍCIA: Bem, esta é uma questão bastante delicada. Eu digo que depende. Eu, antes de receber propostas de uma editora, estava pensando seriamente em me auto-publicar. Estava tentando aprender tudo sobre como funcionava o registro na Biblioteca Nacional e tudo mais, porém, era muito jovem e achei o processo todo mundo complicado, principalmente porque eu não conhecia NINGUÉM deste meio. Então, quem faria minha capa? Quem diagramaria o meu livro? Quem o revisaria? Eu não tinha ideia de como fazer isso e por esta razão, esperar a oportunidade editorial foi o melhor caminho. Porém, conheço muitos autores que se lançaram sozinhos de maneira independente e tem conseguido chegar muito longe, recebendo até mesmo propostas de grandes editoras. Eu poderia citar vários autores que alcançaram esse reconhecimento, então, acho que depende muito do conhecimento de mundo do autor, do seu convívio e sobre aquilo que ele pensou para sua carreira. Hoje em dia, eu me arriscaria sem problema algum a uma publicação independente, pois tenho mais conhecimento do mercado editorial e de como tudo funciona, mas ainda prefiro ter uma empresa que possa resolver tudo isso para mim. Então, o mínimo que tenho feito é colocar alguns contos na Amazon de maneira independente e posso dizer que tenho gostado bastante deste recurso.

Limites na ficção/Jurada pelas Sombras:

2- Com o maior interesse pela escrita, muitos autores iniciantes têm dificuldade de desenvolverem seus próprios estilos. Para você, existem limites na ficção? Como foi escrever Jurada pelas sobras? Podemos dizer que você se aventurou por novos caminhos e que você foi ousada ao criar uma narrativa (um tanto quanto polemica) que se desprende do estilo de romance adolescente, e, outros mais picantes que as pessoas estão acostumadas a ler atualmente?
LETÍCIA: Olha, você me pegou! Eu jamais pensei que tinha um estilo até sair a primeira resenha de Jurada pelas sombras! Comecei a escrever aos seis anos de idade, aos oito anos escrevi o meu primeiro romance e era algo muito espontâneo. Eu simplesmente pegava alguns restos de cadernos escolares e ia escrevendo de uma forma que mais parecia o roteiro de um filme! Na verdade, enquanto escrevia, eu sempre imaginava e ainda imagino que estou dentro de um filme. Até os efeitos especiais aparecem na minha mente! Eu sei, parece loucuras, mas é exatamente assim que eu começo a criar as minhas estórias. Logo, minha resposta é não, não existem limites para a ficção. Quando eu estou criando, esta palavra nem mesmo existe no meu vocabulário! Gosto de deixar minha imaginação divagar e como já disse em entrevistas anteriores, eu não tenho controle sobre aquilo que imagino. Quando a inspiração vem, eu preciso gravar o que estou pensando o mais rápido possível. Muitas vezes os meus dedos não acompanham a velocidade do meu cérebro e por isso, pego o celular e começo a falar tudo o que veio naquele momento. Depois escuto e começo a desenvolver a trama. É sério! Já passei por maus bocados por causa disso. Uma vez, na faculdade, tive que pedir para ir ao banheiro porque uma ideia muito maluca surgiu na minha cabeça e estava me atormentando tanto que eu não conseguia prestar atenção a nada! Então fui até o banheiro e gravei. Se alguém estava do lado de fora... Nossa, com certeza achou que tinha uma louca ali!

Eu comecei a escrever Jurada pelas sombras aos 14 anos, tinha uma ideia inicial que era para rumar ao sobrenatural, principalmente porque nessa época, eu jogava Bite fight na internet e escrever sobre vampiros foi minha primeira ideia. Porém, meu avô adoeceu e eu presenciei sua fase terminal. Ele teve câncer e o ar era tão fúnebre, a tristeza era tanta que eu deixei de acreditar em tudo... E todos. Tornei-me uma pessoa muito introspectiva e triste. Pintei o meu cabelo de preto, comecei a usar maquiagens pesadas e andava sempre com roupas escuras. Então, isso me fez mudar o rumo de Jurada pelas sombras. Quem já leu o livro e me conheceu nesta época, diz que a personagem Elvira tem muito daquela Letícia. Muitos dos acontecimentos do livro realmente me aconteceram e eu modifiquei de uma forma que pudesse se encaixar na história. Não posso afirmar que foi voluntário, ou não, mas aconteceu e está ali. Demorei cerca de 4 anos para concluir a história. Então, já tinha 18 anos e foi a hora de procurar uma editora. Acreditem, eu pensava que minha trama estava excelente... Porém, quando comecei a reler, após ser publicada, eu vi que muitos pontos precisavam de melhorias e é por isso que tenho trabalhado na reescrita de algumas partes. Não irei mudar o essencial da história, afinal, conquistei muitos leitores pelo meu jeito simples e direto de escrever, mas quero apresentar um enredo mais maduro.

Já ouvi muitos comentários de leitores dizendo que eu tenho um quê de Machado de Assis, pela forma como organizo minha narrativa e acreditem, este foi uma dos maiores elogios que já recebi! Outros acham que eu tenho um pouco de Stephen King, já ouvi também que lembro Bella Andre e, mais recentemente, uma pessoa me perguntou se eu tinha me inspirado no livro O seminarista para escrever Jurada pelas sombras! Então, digamos que eu não tenho um “estilo” demarcado, mas o enredo de Jurada pelas sombras foge sim da normalidade de um romance adolescente, pois retrato temas como a auto-mutilação, a perda, a tristeza e a ingratidão. Hoje o vejo quase como um mundo paralelo, mas tenho o maior carinho por este meu romance de estreia.

Arwen e TRÊS contratos assinados:

3- Vou priorizar meus parabéns mais uma vez por que um é legal, dois é bom, mas TRÊS, fala sério, três é bom demais! E minha pergunta é exatamente sobre a publicação. Você já lançou a primeira edição do Jurada pelas Sombras, esta em processo de criação do segundo volume da Serie Deixe-me e Borborema está a todo vapor... Minha pergunta é: Foi fácil para você escolher a editora felizarda ou trabalhar com a Arwen facilitou a sua escolha?
LETÍCIA: Na verdade eu já estou de olho na Arwen desde que ela surgiu! Eu e André nos conhecemos quando publiquei a primeira edição do Jurada pelas sombras pela Literata e desde então temos conversado muito sobre isso. Por isso, quando ele anunciou a Arwen no mercado editorial, eu já estava por dentro e pensando seriamente em mandar um original para a avaliação. Depois disso, tornei-me blogueira parceira da editora e tenho acompanhado o crescimento bem de perto, isso despertou ainda mais o meu interesse. Recentemente, depois de fazer um teste para lá de difícil, comecei a trabalhar na empresa e percebi que sim, esta era a casa editorial para a qual eu queria vir! Porém, o André não me dava retornos... Eu enviei o original para várias editoras e com a correria do dia a dia, até tinha me esquecido! Um tempo depois, várias propostas começaram a chegar e eu comentei com ele a respeito, mas André foi enfático ao dizer: não, você é arwen! Sossega o coração que algo bom vai vir por ai... Então, quando ele fez aquele vídeo dizendo que os três tinham sido aprovados... Sério, meu coração parou por uns dois segundos! Eu ri, chorei, assisti de novo para ver se não era uma pegadinha e finalmente passei para a fase de aceitação: sim, eu tenho três contratos e preciso me empenhar para escrever logo o volume dois da série Deixe-me, pois este será o primeiro a ser publicado! Por escolha minha, é claro. Em seguida será a segunda edição de Jurada pelas sombras, pois quero ter tempo para trabalhar em uma reescrita e deixar o enredo mais maduro, afinal, o texto da primeira edição é o texto idealizado pela Letícia de 15 anos e eu acho que a Letícia de 21 pode dar uma incrementada nele. Não quero mudar muito, pois quero que os leitores percebam uma evolução em mim, mas acho que vale a pena melhorar porque essa história que é muito querida para mim. E depois virá o Borborema, acho que este é o livro mais difícil que escrevi até hoje, eu já reescrevi, apaguei e fiz de novo várias partes porque ele é bem complexo e acho que vai mostrar ao leitor uma grande evolução em minha escrita. Esta história é bem especial também pelo tema que abordo, mas... Por enquanto não posso dar muitos detalhes! Enfim, estou amando essa nova fase e espero ter bons resultados e claro, que os leitores gostem também daquilo que estou planejando apresentar-lhes!

Trabalho em Equipe:

4- Sabemos que você, recentemente, assumiu o cargo de Assessora Editorial da Arwen, logo, gostaríamos de saber: como está sendo esta experiência? Como é trabalhar ao lado do André C. S. Santos? E o restante da equipe? Conte-nos tudo e não esconda nada!
LETÍCIA: Ai nossa... Como está sendo esta experiência? Maravilhosa! Sério, eu não tenho outra palavra para descrever! Eu comecei como revisora freelance na empresa, e revisei dois livros assim e o André me fez a proposta para ser um membro efetivo na editora, confesso, eu fiquei apreensiva e com medo de não dar conta, afinal é uma responsabilidade e tanto! Porém, todo mundo tem sido muito atencioso comigo e estão me treinando direitinho. Até agora não tenho do que reclamar! O contato com o André é demais! Acho que ninguém tem um chefe tão gente boa como eu! E não, eu não estou sendo puxa saco! Como éramos amigos antes de eu entrar para a Arwen, sinto-me mais a vontade para dar opiniões e o contato com ele é mais fácil, pois não me sinto apreensiva. Ele também é bastante direto, se tem algo que quer que eu faça. ele simplesmente chega e diz: Letícia, preciso que faça isso e isso para mim, será que você pode fazer? Acho que isso facilita muito nosso trabalho e faz com que as coisas caminhem mais rápido... O restante da equipe? Nossa! Eu os adoro! A Camilla se tornou uma pessoa muito especial em pouco tempo, se tenho dúvidas, corro para ela e ela resolve! O Daniel do setor financeiro também é muito gente boa, apesar de eu ter um pouco de medo da cara de mal dele (risos). E a dona Nilza... Ela é demais! Vive nos ajudando com a divulgação, compartilhando as artes e tudo mais! E o resto do pessoal eu ainda não tenho muito contato, mas na área de revisão também estou me dando muito bem com todos, principalmente com o Caio Amoêdo e a Mariana Ramos. Nós trabalhos juntos e se temos alguma dúvida, um procura o outro e tentamos fazer o nosso melhor sempre. Acho muito legal mesmo!

Blogs Parceiros!!!

5- Você é a responsável pela coordenação dos blogs que fazem parceria com a editora Arwen e eu acredito que muitos blogs mandam solicitações de parceria todos os dias, por isso a pergunta: Como funciona o processo de seleção para blogs parceiros? Quantos blogs a editora escolhe e por quanto tempo dura a parceria? É preciso que o blog seja exclusivamente voltado para a literatura? Quais os pré-requisitos que os blogs precisam ter para serem parceiros da Arwen?
LETÍCIA: Bem, eu cuido sim dos blogs parceiros da editora, mas peguei o barco andando, então ainda estou criando os meus próprios critérios de avaliação. Como sou blogueira há seis anos, já fiz um projeto de iniciação científica onde investigo os blogs e tenho vários certificados nesta área, acredito que sei exatamente o que um blog precisa ter para ser um parceiro efetivo. Um dos critérios que julgo o mais importante é: como o blog transmite a mensagem ao seu público? É importante ter uma boa escrita, uma boa desenvoltura e carisma ao transmitir a mensagem, pois assim, vários leitores voltarão. Então, sim, eu gosto de avaliar a qualidade da resenha, a qualidade dos posts, como o blogueiro organiza estas postagens e tudo mais.

Outro quesito importante é a qualidade da resenha. Não que eu espere que todos os blogueiros sejam críticos literários, isto, na verdade, seria uma tremenda injustiça, mas já vi muitas resenhas em blogs que não falam absolutamente nada! Há apenas a sinopse da obra e algo como: eu gostei, ou eu não gostei. Não há nem mesmo justificativas, ou um pequeno apontamento sobre o lado bom e ruim do livro. Acredito que isso é muito importante em uma resenha, pois um apenas eu gostei ou não gostei não despertará o interesse do público e muito menos mostrará pontos da obra que ele deseja conhecer ao consultar uma resenha. Porém, devo ressaltar que eu não faço essa avaliação sozinha, tenho uma equipe que me ajuda na aprovação dos blogs e juntos, escolhemos de acordo com alguns requisitos básicos e suas respostas em nosso formulário, é claro.

Ainda não realizei minha primeira seleção, as inscrições foram abertas, mas o resultado só sairá em novembro, para que tenhamos tempo de avaliar com bastante calma. Como antes tínhamos o selo Literata e o Arwen, era um total de 120 blogs parceiros, 60 para cada editora. Com a extinção do nosso selo Literata que será, futuramente trabalhado de novo, escolheremos apenas 50 blogs. Assim, acredito que poderemos atender melhor a todos e ter um contato mais de perto, um contato que seja satisfatório para a empresa, sim, mas também aos blogueiros. Estamos pensando ainda se esta parceria durará um ano, como a anterior, ou apenas um semestre, como todas as outras editoras tem feito. Iremos analisar isso e até o fim do ano teremos esta resposta.

Dicas e uma pergunta pessoal:

6 -Escrever um livro é o objetivo de muitas pessoas, embora o trabalho do escritor não seja tão simples ou valorizado quanto parece. A dificuldade de se lançar no mercado editorial acaba sendo um grande empecilho e muitos autores desistem do sonho de ser escritor. Quais dicas você deixaria para os escritores iniciantes que ainda vão enfrentar esse problema? E agora a minha pergunta de cunho pessoal: Quais são os seus escritores / livros favoritos? (melhor ainda se for nacional rs)

LETÍCIA: 
Olha, parece brincadeira, mas já faz 13 anos que sou escritora e somente aos 18 anos eu consegui me lançar no mercado editorial. Não é fácil mesmo, já aviso que se a pessoa realmente tem este sonho, tem que ser perseverante e muito, mais muito interessada! Você precisa descobrir qual é o seu diferencial e mostrar ao públicoo porquê ele deve ler o seu livro. Não desistir é realmente a ideia a se focar!E claro que eu tenho escritores favoritos! Sou bastante clássica! Amo Machado de Assis, José de Alencar, Lima Barreto e por ai vai... Mas, também gosto muito do atual! Uma das minhas escritoras brasileiras favoritas é a Samanta Holtz e a Alane Brito. Gosto muito também da Juliana Daglio e a FML Pepper... Nossa, são muitos nomes a se lembrar! Então, sintam-se todos queridos, porque eu amo a literatura nacional! Internacional, eu sou apaixonada pela Emily Brontë e Willian Blake. Gosto muito também de Bram Stoker e Anne Rice, assim como Edgar Allan Poe... É, eu sou meio dark nesse sentido. Gosto de histórias impactantes!!!! É isso, muito obrigada equipe do Clube do Livro! Adorei a oportunidade!

CRÉDITOS:

Perguntas: Jeniffer Martins
Imagens: Arquivo Pessoal
Montagem post: Giuliana Sperandio




Conheça todos os lançamentos da Editora Arwen/Literata!

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.